As flores astrais no jardim dos Orixás

Muito emocionado aqui com essa canalização fresquinha do Pai Jacó. Desde quinta-feira estou sendo cutucado pra escrever isso, mas acho que estava preocupado com a gira de ontem, então não rolava. Hoje que estou mais descansado tudo veio num flash, inclusive com imagens do dia dos amacis. Vocês vão entender a analogia com as flores astrais. Sou suspeito pra falar, mas achei o texto lindo e poético como só eles sabem intuir a gente a escrever. Espero que gostem, e mais, que entendam as lindas palavras e os toques gentis e profundos! Bom final de domingo e início de semana a todos os filhos da casa!

AS FLORES ASTRAIS NO JARDIM DOS ORIXÁS

Boa noite, meus amados filhos. É chegado o momento em que a espiritualidade maior vai se debruçar sobre cada um de vocês e examinar no fundo da sua alma o desejo de assumir o compromisso conosco de servir ao próximo através das sete linhas da Umbanda Sagrada. É certo que esse compromisso já foi assumido pelo seu espírito antes que vocês encarnassem. Mas, como o Pai tudo permite, lhes é dada a opção de corroborar ou não essa intenção para com suas próprias entidades e para com vocês mesmos.

Tal qual o aluno que se debruça sobre o livro antes dos exames finais da escola da vida, temos nos colocado ao lado de cada um de vocês, sentindo o que vocês sentem, experimentado a sua luz e as suas trevas. E isso se faz necessário porque o compromisso que cada um de vocês está prestes a assumir é muito sério, tão sério que os assusta. Então peço, humildemente, um minuto da sua atenção para dizer palavras de encorajamento para os filhos dessa casa.

A mediunidade de incorporação é um talento muito especial, e, se vocês detêm esse dom, certamente é porque também são especiais. Isso não significa que vocês sejam melhores ou piores que ninguém, mas que, através de vocês, médiuns, o amor do Pai Maior, pode se materializar nas palavras e atos de suas benditas entidades.

Muitos de vocês, senão todos, já passaram por momentos de crise na sua fé e na sua capacidade de executar a contento o papel que escolheram antes de encarnar. A crise de fé é benfazeja no sentido de aguçar a sua capacidade crítica e permitir que vocês se olhem profundamente antes de assumir esses compromissos mais profundos com a espiritualidade. Dá a vocês a verdadeira importância do preparo para a missão. Por outro lado, o questionamento infindável sobre a origem de tudo, sobre os limites entre a sua consciência e a das entidades, a curiosidade fútil sobre aspectos secundários da mediunidade e sobre a validade do trabalho mediúnico podem ser facilmente dirimidos com o sorriso nos lábios daqueles que desesperadamente procuram uma casa de oração para serem ouvidos e acolhidos. Nada, senão a bondade da alma pode aplacar o fogo da razão vã e a ansiedade cega que assombram muitos de vocês.

A convivência pacífica e honesta entre os filhos da casa é condição fundamental para que o ambiente esteja energeticamente apropriado aos trabalhos de cura e de benção que ali se realizarão. Para tanto, antes de criticar com terceiros a atitude de algum irmão que tenha lhe incomodado, procure esse irmão com candura e candidez e busque o entendimento fraterno e a harmonia. Não há dentre vocês, um anjo sequer, mas certamente há sementes de anjos. Vocês irão se surpreender com os milagres que o amor-harmonia pode realizar nas suas relações.

Aos olhos do Criador tudo é possível. E, vos digo, cada palavra de desafeto proferida por qualquer um de vocês será transformada em amor puro e cristalino, quando a energia dos seus padrinhos-orixás nessa sua jornada terrena imantar a coroa de cada um de vocês nos mistérios sagrados da criação. Eles têm o poder da sacralização, então, de certa forma, as banalidades e a maldade não encontrarão guarida nas vossas consciências e nesse dia vocês entenderão perfeitamente o significado da expressão “filhos de santo”, infelizmente tão mal empregada. O dia em que esse halo de transformação será ativado nos preparados se aproxima. E os aprovados nesse teste de fé tornar-se-ão “filhos” de seus benditos orixás.

No momento dessa religação com a sua energia sagrada, entregue-se com o máximo de humildade àquele que com veemência adotou o vosso espírito, muitas vezes envenenado pelas dores de encarnações malogradas, e decidiu, na sua infinita bondade e magnitude, lhe ofertar mais uma chance nesse mundo bonito e sofrido de vocês, para que todo o passado de dor se transformasse em bem e caridade. Esse é o segredo de tudo e essa luz deve servir para dirimir suas dúvidas e afastar os seus medos. E é essa é a função primordial da umbanda: amor e caridade. Ou não?

Assim, nesse momento de reconexão, vocês transformar-se-ão em flores astrais multicoloridas, brilhando vívidas na imensidão do universo e enchendo nossos corações de alegria pela aceitação de se transformarem em verdadeiros instrumentos da luz. Que seus orixás abençoados, na sua energia divina, possam reverberar esse amor por vocês nos rincões mais afastados desse universo e que esse salto na sua consciência possa representar o início de uma nova era pessoal para os filhos e para esse templo de luz.

Agradeço pela sua atenção. Que essas palavras possam acalentar seus corações e espíritos. Despeço-me com a sua oração mais conhecida, o Pai Nosso, que tenho certeza, passará a ter outro significado para cada um de vocês. E o faço em latim, para que a magia das palavras seja preservada, já que vocês conhecem essas palavras à exaustão no seu próprio idioma. Absorvam profundamente o significado das palavras. Deixem que elas inundem a sua alma de amor e humildade.

Pater Noster
Pater noster, qui es in cælis:
sanctificétur nomen tuum;
advéniat regnum tuum; fiat volúntas tua sicut in cælo, et in terra.
Panem nostrum cotidiánum da nobis hódie;
et dimítte nobis débita nostra,
sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris;
et ne nos indúcas in tentatiónem;
sed líbera nos a malo.
Amem

Eu sou Jacó, nessa data bendita de 30 de novembro do ano cristão de 2014.