O segundo cálice de Fel

Transcrevo abaixo texto do Seu Ventania canalizado pelo Fernando Parada ! Uma bela parábola sobre o mal disfarçado de bem e suas artimanhas para derrotar a luz!

O segundo cálice de Fel

Era uma vez, um reino que estava em decadência, por conta dos feitiços de uma meretriz-feiticeira… Todas as famílias passavam por grande pobreza, tristeza, infertilidade.. Inclusive o rei, em crise, exilou seus três filhos menores e sua rainha.. Esses, foram levados para terras distantes e ninguém mais os viu… Pouco tempo depois, o rei contraiu casamento com a meretriz-feiticeira, e compartilhou seu reino, seu espírito, suas felicidades com sua nova rainha.. Mal sabia ele, que seus feitiços o embebiam em cada taça de vinho..Mal sabia, que o vinho, que antes era feito das mais doces uvas de seu reino, agora sob feitiço, em seu paladar tinha sabor de mel, mas não passava de um cálice de fel..
Com o tempo, os conselheiros do rei, o convenceram de que todo o reino estava sob influência de sua rainha.. Em um laivo de consciência, o rei cravou uma adaga no coração da feiticeira, Mandando-a para o inferno..Logo ao nascer , a criancinha que no futuro tornara-se feiticeira, teve seu coração perfurado por demônios, e somente por magia, ela permanecera viva. E somente o golpe de um verdadeiro amor, poderia por fim ao súcubo encarnado, que era a própria feiticeira..Não que ela fosse feliz por ser má, mas tal qual o escorpião que fere por sua própria natureza de trair, assim era toda a existência da feiticeira… No entanto, seu feitiço não fora cessado.. Seu veneno permeava os ambientes do reino…Uma certa noite, enquanto repousava.., o rei foi atacado sorrateiramente….e ferido mortalmente….ainda agonizando, viu que seu guarda mais fiel, tomado por rancor, magia, inveja, insegurança e toda sorte de vinganças, utilizara uma adaga enfeitiçada, afim de perfurar o átrio de seu coração, e assim, permitir que o espírito da maldade entrasse em seu corpo, quase desfalecido…
Neste momento, o rei lembou-se que um dia teve fé, e olhando para o alto, clamou por sua divindade suprema, o deus Odin, que o atendeu prontamente, enviando suas fadas curandeiras.. e em uma explosão de luz, uma espada partiu em dois, o guarda que o atacara.. Esse fora o segundo cálice de fel…O cálice da traição..
No dia seguinte, uma bela carruagem trouxe sua rainha e seus filhos de volta ao reino, e a felicidade retornou ao reino…
O rei, agora sabedor das maldades do mundo, nunca mais deu atenção às falsidades e belos sorrisos das pessoas, pois por mais belo que fosse o sorriso da meretriz, seu riso era tal qual as hienas, que mostram sempre os dentes, mas nunca deixam de ser carniceiras…..O rei aprendera a lição…

Exu Ventania