Pessoal, observem a energia que será trabalhada no próximo ritual!

Mito de Ísis e Osíris
Como todos já sabem, Ísis é uma Deusa Egípcia, esposa e irmã de Osíris. Filha de Nut (o céu) e Gueb (a terra). Ísis é a Deusa dos Mil nomes. É aquela que governa o Céu, a Terra e a Lua. Sendo ainda a senhora da vida e da morte. A Deusa da cura. A rainha das estrelas e protetora dos mortos. Senhora dos eventos mágicos e da natureza. A Deusa da simplicidade. A mãe e a amiga de todos os homens, sem distinção. Por isso é considerada a mais Humana de todas as Deusas. Seth, o invejoso irmão de Ísis e Osíris o matou e jogou o caixão contendo o corpo de Osíris nas águas do rio Nilo. As águas caudalosas levaram o caixão para longe. Ao tomar conhecimento do fato, Ísis foi em busca do caixão, para que Osíris pudesse ter um enterro digno. Foi encontrá-lo na longínqua Biblos, cidade na costa da Fenícia, e o trouxe de volta ao Egito, ocultando a urna funerária em um pântano. Naquela noite, Seth foi à caça e encontrou o caixão de Osíris. Movido pelo ódio, Seth esquartejou o corpo de Osíris em catorze pedaços e espalhou as partes por todo o Egito com a clara intenção de que Ísis jamais os encontrasse para que assim Osíris não pudesse ter um enterro digno. Ao saber do ocorrido Ísis e sua irmã Néftis saíram em peregrinação pela terra em busca dos pedaços de Osíris. Encontraram treze pedaços, o décimo quarto que era o pênis de Osíris havia sido engolido por um peixe. De posse das treze partes Ísis lançou mão de sua Magia e com sua agulha de ouro “costurou” o corpo de Osíris, refazendo o pênis com sua Magia. Assim, com o corpo morto de Osíris, mas refeito, Ísis pode conceber Hórus (o olho que tudo vê). Deste mito de Ísis e Osíris nasceu a “tradição” do dia da costura que ainda prevalece em alguns locais do planeta. Principalmente por aquelas mulheres que buscam perpetuar o legado de Ísis. No dia consagrado à Deusa Ísis, as mulheres se reúnem ao redor de um círculo, (de cadeiras, ou almofadas) munidas de seus bordados ou outras costuras que irão iniciar ali, naquele encontro. Colocam no centro do círculo uma flor branca (de preferência lírios) em honra a Ísis, e, enquanto tecem seus sonhos, vão relembrando e compartilhando fatos e conhecimentos importantes das suas vidas. Trocando informações e experiências enquanto mãe, filha, irmã, esposa, amiga, quilteira ou maga, ou bruxa, ou feiticeira, não importa. O que importa é compartilhar. A duração deste encontro é determinada pelas participantes. O importante é que o trabalho de tecer seja concluído no mesmo dia, e que no final partilhem algum alimento e suco. Este é o legado mágico de Ísis deixado para nós que também tecemos nossos sonhos e nossas vidas. Costurar, unir com as agulhas o que está separado. Dar forma ao que antes não tinha. Dar vida, ao que antes era apenas um sonho. Isto é a Ísis e o poder advindo dela em cada um de nós.